Videomonitoramento será ampliado no entorno do Trapichão

Medidas foram discutidas pelo Conselho Estadual de Segurança

475f12d0f6109adbd522d72e06a83881_L
Alcance das câmeras do entorno do Trapichão deve aumentar para coibir violência. Foto: Divulgação

O presidente do Conselho Estadual de Segurança (Conseg), Antonio Carlos Gouveia, anunciou, nesta quinta-feira, 12, algumas medidas que serão sugeridas à Cúpula da Segurança Pública para coibir a violências nas partidas de futebol em Alagoas. Entre elas, o aumento do raio de ação do videomonitoramento do entorno do Estádio Rei Pelé e o fim do acesso das torcidas organizadas aos estádios, sem a anuência do Poder Judiciário.

As demais medidas consistem na expansão e blindagem dos foços que circundam a área de jogo do estádio. Representantes do Judiciário, Ministério Público e Estado discutiram abertamente iniciativas que dão certo em outros países e podem dar certo em Alagoas, como a instituição da biometria para catalogar ‘torcedores-brigões’.

Gouveia está esperançoso nos avanços e espera devolver ao alagoano a tranquilidade de ir ao estádio torcer por seu time de coração.

“Teremos várias situações par agir. Adaptaremos a estrutura do Rei Pelé com a expansão e blindagem dos foços, dificultando assim o acesso da torcida ao campo de jogo. Investiremos na segurança aos torcedores para que os jogos de futebol voltem a ter momentos de diversão e interação da família alagoana”, ressaltou o presidente do Conseg.

O secretário de Estado da Segurança Pública, Lima Júnior, sugeriu que em todo evento futebolístico realizado no Rei Pelé seja instituída uma equipe de inteligência para acompanhar o movimento das torcidas no entorno do Trapichão. A ampliação do videomonitoramento pode ser custeado via Fundo Estadual de Segurança Pública.

Por parte da Justiça alagoana veio o encaminhamento mais polêmico e esperado: o impedimento do acesso das torcidas organizadas aos estádios alagoanos. O acesso só seria permitido com o aval do desembargador Tutmés Ayran. De acordo com o juiz Adamastor Tenório, a utilização do cadastro biométrico nas catracas de acesso ao Rei Pelé pode ser eficaz na identificação de torcedores com problemas na Justiça.

Por fim, pesou contra os clubes a excessiva distribuição de ingressos, entretanto com a ausência dos devidos representantes, não foi possível estabelecer um debate para resolver o impasse.

Como o Conselho de Segurança é um órgão consultivo, as sugestões são encaminhadas a Cúpula da Segurança Pública Estadual para executá-las.

Maynara Rocha – Agência Alagoas