Reduz número de casos de embriaguez ao volante em AL

leiseca

Em 2015, a Operação Lei Seca em Alagoas, parceria da vida, deu um salto qualitativo sem precedentes. Um balanço feito pelo Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL), com relação ao ano de 2015, mostra que as abordagens foram intensificadas durante todo o ano e trouxeram resultados significativos no trânsito em todo o Estado por meio da interiorização da Operação.

O número de casos de embriaguez foi reduzido proporcionalmente ao número de abordagens, o que demonstra uma importante mudança de comportamento, que deve ser comemorada com êxito por todos que trabalham por um trânsito mais seguro.

De acordo com dados fornecidos pela Chefia de Segurança de Trânsito (CST) do (Detran/AL), no último ano foram realizadas 271 operações, com cerca de 20 mil veículos abordados em todo o Estado. Um aumento de 156% (operações) e 122% (abordagens) em relação ao ano de 2014, respectivamente.

A quantidade de casos de embriaguez ao volante, no entanto, não aumentou com mesma intensidade. As recusas aumentaram em 35%, as infrações administrativas em 108% e os flagrantes em 48%.

Estes dados resultam na evolução do percentual de condutores embriagados em relação ao volume de abordados. Em 2014, o percentual de condutores abordados e autuados por embriaguez foi 10,6%. Em 2015, este percentual caiu para 7,1%, ou seja, houve uma redução de 34%.

A Operação Lei Seca, no Governo Renan Filho, registrou um aumento de 129% no número de testes de etilômetro realizados. Em 2014, foram realizados 9.429 testes, já em 2015 foram realizados 21.548. Assim, dezenas de vidas foram poupadas com estas abordagens, uma vez que os casos de embriaguez ao volante foram impedidos pela Lei Seca.

Com a interiorização da Lei Seca no ano de 2015, 30 municípios foram alcançados com a operação, enquanto no ano de 2014 apenas 3 cidades tiveram a presença da fiscalização.

Condutores autuados por esse tipo de infração pagam R$ 1.915,40 de multa, perdem sete pontos na carteira e têm a CNH apreendida. O valor é dobrado caso o motorista tenha cometido a mesma infração nos 12 meses anteriores.

O diretor-presidente do órgão, Antônio Carlos Gouveia, destaca a importância do desempenho dos servidores do órgão e a parceria com a Polícia Militar. “Sou extremante grato, a equipe que faz a Lei Seca pelo esforço e dedicação na busca de salvar vidas. Agradeço o apoio de todos os servidores e a parceria com a Polícia Militar de Alagoas, estão todos de parabéns pelo mérito alcançado. Neste ano de 2016, estamos com uma nova frota de veículos para atender a fiscalização e com certeza o número de vidas salvas vai crescer ainda mais”, ressaltou

Casos de embriaguez:

Recusa: A recusa é feita quando o condutor é abordado e se recusa a fazer o teste do etilômetro. Neste caso, ele é autuado com base no Art. 277 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Infração administrativa: É quando o condutor é abordado, faz o teste do bafômetro e o resultado é de até 0,33 mg/l.

Flagrante: Quando o condutor é abordado, faz o teste do etilômetro e o resultado é 0,34mg/l ou mais. Ou ainda, quando o condutor se recusa a fazer o teste, porém apresenta claros sinais de estar com a capacidade psicomotora alterada. Neste caso, é lavrado um Termo de Constatação de Embriaguez (TCE).

Cada Minuto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *