PRECARIEDADE: UTI neonatal do Hospital Universitário não tem capacidade de atendimento

Em CI, pediatria informa obstetrícia que não há condições de novos partos devido a superlotação

img_20160521_233525

Os trabalhadores do Hospital Universitário de Alagoas (HU/AL) denunciam o caos devido a falta de condições de trabalho e as dificuldades de atendimento na unidade hospitalar.

Superlotação, pacientes do neo natal ocupando berços na sala de parto, bebês intubados em situação grave na obstetrícia em vez de receberem os cuidados na já caótica UTI, pacientes graves pelos corredores em macas ou cadeiras, fila para cirurgias e falta de atendimento. Todos esses problemas compõem um cenário que não é de agora, mas que só vem se agravando.

“Se chegar alguma mãe em trabalho de parto, não tem onde prestar assistência para as mães nem para os recém nascidos.” disse um funcionário que não quis se identificar.

Segundo informações, mesmo com condições desumanas e com total precariedade no atendimento da população, o Ministério Público não autoriza o fechamento da Maternidade.

A situação é de extrema gravidade, pois afeta diretamente aos 94% da população alagoana que depende exclusivamente do SUS em nosso Estado, e encontra no HU muitas vezes a única possibilidade de atendimento médico e diagnóstico. O HU é referência estadual e municipal em urgência obstétrica, atenção ambulatorial especializada e internação em média e alta complexidade.