PMDB chega ao terceiro presidente a ocupar o cargo sem vencer uma eleição

temer

José Sarney, Itamar Franco e, agora, Michel Temer: o PMDB, com 50 anos de trajetória na política nacional, chega ao seu terceiro presidente. No entanto, com um traço peculiar em sua caminhada: nunca venceu uma eleição sequer para o cargo. Mas, em contrapartida, emplacou no poder seus três vices.

Em 85, Sarney ocupou a cadeira em que deveria ter se sentado Tancredo Neves, eleito de forma indireta. O avô de Aécio Neves, no entanto, adoeceu e faleceu antes mesmo de tomar posse. Já em 92, com a saída de Fernando Collor de Mello, Itamar Franco assumiu interinamente a presidência. Em tempo: Itamar, em 89, se tornou vice pelo PRN, se desfiliando do partido naquele mesmo ano e desembarcando no PMDB.

Agora, em 2016, o partido com maior bancada, tanto na Câmara dos Deputados como no Senado, volta ao Palácio do Planalto pelas mãos de Michel Temer.

Em torno do poder
Desde a redemocratização, após o período de ditadura militar, o PMDB lançou candidato próprio em apenas duas eleições: 1989, quando Ulysses Guimarães obteve apenas 4,6% dos votos válidos, ficando apenas na 7ª colocação, e em 1994, tendo Orestes Quércia como candidato, obtendo somente 4,3% dos votos.
Em 2002, escolheu Rita Camata como candidata a vice na chapa de José Serra (PSDB), derrotada no segundo turno pelo ex-presidente Lula. E, em 2010, voltou a flertar com o Planalto, ao emplacar Temer como vice de Dilma Rousseff, dobradinha repetida na eleição que, em 2014, reelegeu a presidente agora afastada.

EXTRA