Papagaio pode ser testemunha em caso de assassinato

Após supostamente começar a repetir a frase: “Não atire”, o papagaio Bud pode tornar-se testemunha em um caso de assassinato no estado do Michigan, nos Estados Unidos.

O crime aconteceu em maio de 2015, quando Martin Duram, de 45 anos, foi morto com cinco tiros na casa em que morava em Ensley Township. A esposa dele à época, Glenna Duram, foi ferida cabeça, mas sobreviveu.

Após o assassinato, a ex-esposa da vítima, Christina Keller, levou o papagaio-cinzento para morar em sua casa. À emissora WOOD-TV, ela afirma que a ave tem imitado a voz do antigo dono e repetido o que seriam as últimas palavras dele: “Não atire”. Para provar a alegação, ela disponibilizou um vídeo para as autoridades – veja abaixo.

Responsável pelo caso, o promotor do condado de Newaygo, Robert Springstead, disse que a possibilidade de convocar a ave para testemunhar o caso está sendo analisada. “À medida que trabalhamos o caso, isso pode ser algo para dar atenção, mas eu duvido que haja qualquer precedente legal para isso”, afirmou ele à agência Associated Press.

Até o momento, ninguém foi indiciado pela morte do homem e a víúva Glenna nega o crime. O caso continua sob investigação.