Michel Temer assume a negociação para reaproximar Renan do governo

Presidente tenta evitar rupturas na bancada. Temer quer compromisso de apoio às reformas.

O senador Renan Calheiros (à esq.) e o presidente Michel Temer, ambos do PMDB. Foto: Sérgio Lima

O presidente Michel Temer recebe na 3ª feira (9.mai.2017) senadores da bancada do PMDB. O encontro é uma tentativa de reaproximação do governo com o líder da sigla no Senado, o ex-presidente da Casa Renan Calheiros (PMDB-AL). A reunião será no Palácio do Planalto, às 11h.

Conforme o Poder360, todos os senadores peemedebistas foram convidados para a reunião com Temer, inclusive Renan. A iniciativa do encontro foi do líder do governo na Casa e ex-ministro Romero Jucá (PMDB-RR). Ele telefonou para senadores da sigla.

“VAI SER 1 TESTE”

O encontro servirá para mostrar como se divide a bancada. “Vai ser 1 teste. Quem não for, vai gerar uma certa suspeição”, disse reservadamente 1 senador peemedebista. “Pode até ter outra motivação [a ausência], mas vai ser insensível ao apelo do presidente.

Os senadores ligados ao presidente Michel Temer insistiram num encontro da bancada com o presidente. Jantares como o realizado na casa da ex-ministra Kátia Abreu (PMDB-TO) eram vistos como improdutivos. Queriam 1 local oficial para poder contestar o posicionamento de Renan como uma reivindicação da bancada e também do governo.

Parte da bancada do PMDB pensa em demover Renan do cargo de líder. O partido é o mais numeroso no Senado, com 22 cadeiras ocupadas. Representa mais de 1/4 dos votos na Casa.

RENAN NA OPOSIÇÃO

Renan tem criticado o Planalto recentemente. Em 3 de abril, o ex-presidente do Senado disse que “o último governo que guarda alguma relação com o que acontece no Brasil foi de Artur Bernardes (presidente de 1922 a 1926), considerado o governo da vingança. No Século 21 isso não pode mais se repetir.”

O peemedebista sugeriu que poderia deixar a liderança da bancada para combater as reformas apresentadas pelo governo Temer. “Você só é líder de bancada quando verbaliza o pensamento majoritário. Agora, se for incompatível defender os trabalhadores com o exercício da liderança, vocês não duvidem o que vai acontecer”, declarou. “Não podemos permitir que esse desmonte se faça no calendário que essa gente quer”.

A senadora paulista Marta Suplicy (PMDB) convidou todos os colegas de partido no Senado para 1 jantar amanhã (9.mai). O assunto também deve derivar para liderança da bancada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *