Estado avança em obras de esgotamento sanitário em Coqueiro Seco

Expectativa é de que o novo sistema seja entregue em setembro deste ano

Obra vai melhorar a vida de moradores do município, assim como da Região Metropolitana. Foto: Adailson Calheiros
Obra vai melhorar a vida de moradores do município, assim como da Região Metropolitana. Foto: Adailson Calheiros

As obras de esgotamento sanitário no município de Coqueiro Seco, executadas pela Secretaria de Estado da Infraestrutura desde fevereiro deste ano, seguem em ritmo acelerado e a previsão é de que o novo sistema seja concluído em setembro próximo. Orçada em R$ 10,7 milhões, obra garantirá cobertura completa da rede de esgoto no município.

“Os trabalhos estão a todo vapor. A rede coletora conta com mais de 70% da obra executada, a Estação de Tratamento de Esgoto está em fase de conclusão e as Estações Elevatórias estão bem adiantadas. Além disso, iniciamos a implantação do filtro e da fosse do sistema”, explica a superintendente estadual de Obras, Sílvia Valéria Lima.

De acordo com a secretária de Estado da Infraestrutura, Aparecida Machado, a ampliação da cobertura de esgotamento sanitário nos municípios alagoanos tem sido uma das prioridades do governo estadual.

Seinfra_interna_int

“Essas obras representam mais saúde, desenvolvimento sustentável e qualidade de vida. Temos driblado a crise com muito trabalho e encontrando soluções para as demandas da população”, ressaltou.

A expectativa é de que, quando concluída, a obra contribua com a redução da proliferação de doenças na localidade e dos impactos ambientais na Lagoa Mundaú, situada no entorno do município.

Região Metropolitana

Em Marechal Deodoro, ainda na zona metropolitana, outras obras de esgotamento sanitário seguem em andamento.

“O projeto contempla todo o município, mas as obras são executadas por etapas. Hoje, estamos com frentes de trabalho na área periférica da cidade. A obra está bem avançada e já concluímos as Bacias 1 e 2. Agora, estamos na reta final da Bacia 3 e da Estação de Tratamento de Esgoto”, detalhou Sílvia Valéria.

Mylena Diniz – Agência Alagoas

[sam id=”1″ codes=”true”]