Associação leiteira prevê ampliação da produção com fomento estadual

Pequenos produtores de Dois Riachos buscam parceria com a Desenvolve

87fe29ea5bfce46eb2c814a38cc656c1_L
Apoio do Estado vai dinamizar produção leiteira. Foto ilustrativa: Neno Canuto

A Associação Comunitária do Povoado Pai Mané, do município de Dois Riachos, reuniu-se, nesta terça-feira, 17, com representantes da Agência de Fomento de Alagoas (Desenvolve) para apresentar seu trabalho e conhecer as linhas de crédito da instituição.

Os pequenos produtores do município sertanejo buscam recurso para ampliar a produção de leite e a melhoria do atendimento da demanda. Eles querem apostar no bom momento experimentado pelo setor na região para aumentar a lucratividade da associação.

Entre as linhas que se adequam ao perfil dos produtores, a analista de fomento Kelly Souto apontou o Cadeia do Leite como a mais indicada para o objetivo dos associados. “O recurso prevê prazo de pagamento em até 18 meses, taxa de 1,2% e liberações até R$ 15 mil”, afirmou.

Produtores como a dona Josefa Cleijane de Melo elogiaram as condições de empréstimo do Governo do Estado que possibilitam a tomada de crédito sem burocracia e justiça financeira. “Não nos sentimos explorados com as condições apresentadas, porque dá pra gente pagar sem aperto e ainda conseguimos ampliar nosso negócio”, disse a sertaneja.

A associação, que existe desde 1987, tem atualmente 22 associados e produz 200 litros de leite por dia. De acordo com o presidente da entidade, José Artur Neto, ter acesso a essas informações ajuda os pequenos produtores que estão afastados da capital.

“Estamos sempre nas nossas propriedades, distantes da informação e a vinda da Desenvolve aqui para conhecer a nossa realidade e explicar de que forma podemos melhorar nossa produção é muito importante”, frisou o produtor.

Rafael Brito, presidente da Desenvolve, lembrou que estes produtores vivem da produção de leite e ofertar o fomento do Estado a estas pessoas traz aumento da capacidade de produzir, melhora na qualidade do produto final e garante sustento às famílias.

Eliete Amâncio – Agência Alagoas